Notícias

Projeto transforma lixo em renda para a Santa Casa

Além das embalagens utilizadas pelo hospital, parte do lixo reaproveitável da cidade passa pelo programa de reciclagem

Sônia Martellozo orgulhosa de fazer parte do projeto que recicla o lixo e ainda ajuda financeiramente a Santa Casa

Uma ação simples acabou virando um importante projeto que, além de contribuir com a preservação do meio ambiente, ajuda a Santa Casa de Misericórdia de Igarapava.

Há três anos, a voluntária Ana Pimentel, com o intuito de ajudar financeiramente a instituição, recolheu as primeiras embalagens. Desde então, muitos voluntários contribuem com o descarte consciente do lixo.

Além da população, empresas como a Usina Hidrelétrica de Igarapava (UHI) aderiram ao projeto. Todo o lixo que a usina recolhe na preservação do Rio Grande é revertido para o Programa de Reciclagem realizado pela Santa Casa.

Em 2018, a arrecadação com os recicláveis chegou a R$ 7.510.70. O valor foi bastante comemorado pela direção da instituição.

Segundo Sônia Martellozo, tesoureira e voluntária no projeto, o envolvimento da população e dos funcionários da Santa Casa justifica o sucesso das ações.

“É muito gratificante ver que tanta gente apoia e ajuda. Queríamos agradecer a todos individualmente, mas tem muita gente que toca a campainha e deixa o material lá fora, sem ao menos se identificar. Isso é a credibilidade. É saber que além de a reciclagem ser fundamental para o meio ambiente e para o lugar onde vivemos, a Santa Casa recebe os materiais com muita responsabilidade e o valor arrecadado é sempre empregado em alguma necessidade, como manutenção ou pequena reforma”.

Assim que são entregues à instituição, os materiais são separados, higienizados e colocados à venda

O trabalho dos funcionários tem sido mesmo fundamental. O material recebido é separado, classificado, muitos deles higienizados e depois colocado à venda.

“O Márcio, do almoxarifado, me ajuda muito, os meninos todos, porque tudo que recolho ou que chega, rapidamente é organizado. A gente percebe o valor do lixo, não é mesmo?”, conta Sônia.

Os funcionários da manutenção da Santa Casa, Márcio Pimentel, José Maria e José Carlos são os responsáveis por buscar, levar e organizar o material da reciclagem. O trabalho é diário e interminável, mas eles reconhecem a importância deste tipo de ação.

E a Dona Albertina reconhece também. Nos eventos realizados pela Santa Casa, a funcionária faz questão de estar presente e, quando a festa acaba, lá está a costureira recolhendo descartáveis e latinhas, para no dia seguinte serem entregues ao projeto.

A pioneira Ana Pimentel continua colaborando. O mesmo acontece com a vizinhança da Sônia, totalmente engajada com o projeto. O Fórum de Igarapava é outro parceiro assíduo, assim como o Lojão do Doidão e o Mini Shopping da Lôra. Mas as doações chegam pela Lourdinha, Patrícia Moreira, Neide Davi, Jacqueline, Sônia, Dulce, Odete, Rosália, Cida, Vanda Rocha e tantas outras mãos generosas.

Isso tudo é ter consciência de estar transformando o meio ambiente para que todos nós possamos viver melhor, aliada à uma instituição que luta pela saúde e pelo bem-estar da população. Combinação perfeita que nos dá a certeza de que este projeto ainda irá muito longe!

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar